segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Max Mallmann (1968-2016)

No dia 4 de novembro de 2016, aos 48 anos, perdemos o escritor e roteirista brasileiro Max Mallmann Souto-Pereira, uma das gratas revelações do final da Segunda Onda da ficção científica brasileira.
Mallmann era gaúcho de Porto Alegre e estreou em 1989 com o livro de realismo fantástico Confissão do minotauro, publicado pelo Instituto Estadual do Livro. Seu segundo romance foi o vencedor do Prêmio Açorianos Mundo bizarro (1996, editora Mercado Aberto), também na linha do realismo fantástico e com o qual ele foi definitivamente integrado ao fandom nacional da literatura de gênero.
No final dos anos 1990, Mallman iniciou seu trabalho como roteirista na TV Globo, onde atuou  em importantes seriados e novelas, tais como Malhação, A grande família e Carga pesada, mas não abandonou o ofício de escritor. Em 2000 publicou pela editora Rocco a novela Síndrome de quimera, finalista do Prêmio Jabuti e ganhadora do Prêmio Argos. Seus livros seguintes, também pela Rocco,  foram Zigurate: Uma fábula babélica (2003) e a ficção histórica  O centésimo de Roma (2010), e sua sequência, As mil mortes de César (2014). Seu último trabalho publicado foi Tomai e bebei, uma pequena novela sobre vampiros lançada em 2015 pela editora Aquario.
Dono de uma prosa agradável e divertida, Mallmann não abria mão do humor e da ironia em doses generosas, que eram também características de seu comportamento social, sendo assim um autor querido por seus colegas e leitores.
Sua morte foi decorrência do agravamento de um câncer de pulmão com o qual lutava desde 2015. O corpo foi cremado no Memorial do Carmo, no Rio de Janeiro, e as cinzas levadas para sua cidade natal.


Mustafá Ali Kanso (1960-2017)

Uma grande perda para a ficção científica brasileira: deixou-nos em 26 de junho último, aos 57 anos, o escritor curitibano Mustafá ibn Ali Kanso.
Bacharel em Química e Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Kanso teve uma carreira breve nas letras fantásticas, contudo produtiva e bem avaliada. Suas primeiras contribuições surgiram no início do século, durante as oficinas de escrita criativa ministradas na capital paranaense pelo saudoso escritor André Carneiro, que foi seu grande mentor. Após a morte do mestre em 2014, Kanso assumiu a direção da atividade.
O autor conviveu com grandes nomes do gênero e com eles compartilhou várias antologias: Futuro presente (2009, Record), organizada por Nelson de Oliveira, Contos imediatos (2009, Terracota), Proibido ler de gravata (2010, Multifoco), Sagas: Odisseia espacial (2012, Argonautas), Estranhas histórias de seres normais (2015, Illuminata) e Possessão alienígena (2017, Devir), além de algumas edições do Projeto Portal, organizadas e editadas por Luiz Brás em 2009 e 2010.
Seus livros solo foram a coletânea A cor da tempestade (2011, Multifoco) e o romance O mesmo sol que rompe os céus (2016, Fragmentos).
Vítima de um ataque cardíaco fulminante, seu passamento repentino e precoce surpreendeu todo fandom nacional de literatura fantástica. O corpo foi cremado no Crematório Vaticano, em Curitiba.

Conexão Literatura 28

Está circulando o número 27 da revista eletrônica Conexão Literatura, editada por Ademir Pascale pela Fábrica de Ebooks.
A edição de 40 páginas destaca, mais uma vez, a obra do escritor americano Edgar Allan Poe (1809-1849), desta feita analisando a influência do autor nas mídias modernas. Nas entrevistas, que sempre recheiam as edições, o editor Gustavo Drago (Drago Editorial) e as escritoras Marli Freitas (666 sinais), Renata Souza (Nova chance para o amor) e Valquíria Carroze (Mario, o modernista a caráter). Ficção de Míriam Santiago e do editor, quadrinho de Pascale e Hugo Máximo, e algumas resenhas literárias completam a edição.
A revista é gratuita e pode ser baixada aqui. Edições anteriores também estão disponíveis.

Juvenatrix 189

Está circulando a edição de setembro do fanzine eletrônico de horror e ficção científica Juvenatrix editado por Renato Rosatti.
Em suas 15 páginas, traz resenha ao livro O massacre da serra elétrica: Arquivos sangrentos, de Stefan Jaworzyn, e resenhas aos filmes de cinema Amor satânico (Deadly love, 1987), O endereço do medo (The house that Mary bought, 1995), Mistério no bosque/ Olhos na floresta (The watcher in the woods, 1980), Narco satanico (1968), Superman and the mole-men (1951) e Vingança eterna/A múmia vive (The mummy lives, 1993).
Divulgação e curiosidades sobre fanzines, livros, filmes e bandas independentes de rock extremo complementam a edição. A capa traz uma ilustração da talentosa herdeira Vanessa Rosatti, de apenas 12 anos, já enveredando na tradição familiar.
Para solicitar uma cópia em formato pdf, envie email para renatorosatti@yahoo.com.br.

Múltiplo 12

Está circulando o número 12 do fanzine virtual de quadrinhos Múltiplo, editado por André Carim.
A edição tem 84 páginas e destaca o trabalho do escritor e roteirista Rafael Spaca, que cedeu uma minuciosa entrevista ao editor. A coluna de Ágata Desmond sobre hq nacional lembra Angelo Agostini, Carim resenhas de quadrinhos e fanzines, e participa com roteiros para as hqs publicadas, que também conta com as colaborações de Rodnei Soares, Dinho Monteiro, Watson e Raphael Portela, Glauco Grayn Torres, Laudo, Bruna Costa,  Maurício Rosélli Augusto, Josi OM e Omar Viñole. Ilustrações avulsas completam a edição. A capa traz uma arte de Carlos Brandino.
A publicação pode ser lida online ou baixada gratuitamente aqui. Edições anteriores também estão disponíveis. O zine também podem ser encomendado em formato impresso, aqui.

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Terra da noite

A editora Clock Tower abre nesta sexta feita, 29 de setembro, às 20 horas, em transmissão ao vivo pelo Youtube, as vendas antecipadas para a coletânea A terra da noite, do clássico autor americano William Hope Hodgson (1877-1918), mais conhecido por sua famosa e assustadora novela A casa sobre o abismo.
As vendas serão realizadas através do site da editora, mas o endereço da Live será divulgado exatamente às 20 horas na sua fanpage, aqui. Para participar, é necessário ter um e-mail do Gmail e estar logado.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Filamentos iridescentes

Tibor Moricz, um dos mais importantes autores da terceira onda da ficção científica brasileira, está republicando em ebook os seus trabalhos esgotados. Depois de relançar o romance Síndrome de cérbero (2007, JR) e o fix-up Fome (2008, Tarja), Moricz lança agora a coletânea pela Filamentos iridescentes, com onze textos primeira vez reunidos num único volume. "Os melhores, creio, que escrevi nos últimos anos", diz o autor.
O texto de divulgação diz: "uma seleção de contos que o levará do espaço sideral a futuros distópicos, do terror ao humor, do degenerado ao instigante, ao inquietante, ao revoltante".
O pequeno conto que dá nome ao volume foi escrito há cerca de dez anos para um concurso na comunidade autores de fc da extinta rede social Orkut, e acabou escolhido como o melhor do certame pelos seus pares, o que é uma recomendação e tanto.
Os demais textos selecionados pelo autor são "Ma chérie", "Do humans dream of other realities?", "As mandrágoras", "Eu te amo, papai", "Eu sou foda, cara!", "Cibermetarealidade", "Recomeços", "Boneca Denden, feliz que a tem", "Grande G" e "Variável de imponderabilidade".
O livro está disponível aqui apenas no formato ebook para Kindle mas, com o uso de aplicativos adequados, é possível ler o arquivo em outros dispositivos.